TÓPICOS

Amazônia terá observatório climatológico mais alto que a Torre Eiffel

Amazônia terá observatório climatológico mais alto que a Torre Eiffel


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A previsão é de que as obras da gigantesca estrutura sejam concluídas em novembro próximo, informou em comunicado o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), que lidera o projeto.

A Torre Eiffel tem 301 metros de altura, mas chega a 324 metros com a antena instalada no topo, enquanto o observatório na Amazônia terá 325 metros de altura e chegará a 330 metros com o sistema de pára-raios.

O observatório climatológico começou a ser erguido na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, localizada na jurisdição de um município a 150 quilômetros de Manaus, maior cidade da Amazônia.

A localização da torre de monitoramento foi escolhida após uma série de estudos que determinaram sua adequação para abrigar a construção.

O chamado Amazon Tall Tower Observatory (Atto, na sigla em inglês) será utilizado para monitorar as mudanças climáticas que ocorrem nas florestas da região, um dos ecossistemas mais sensíveis do planeta e que desempenha um papel importante na estabilização do clima, segundo o Inpa.

O objetivo de longo prazo do Atto é medir os impactos das variações climatológicas globais sobre as florestas continentais da Amazônia por meio do estudo da interação da vegetação com a atmosfera.

Outra das utilizações que o observatório terá será para realizar pesquisas inéditas na química da atmosfera (mudanças gasosas, reações químicas e aerossóis), processos de transporte de massa e energia na camada limite atmosférica e também estudar a formação e a desenvolvimento de nuvens.

“Queremos diminuir as dúvidas nesses campos da pesquisa científica e contribuir e melhorar a representação da Amazônia e de outras áreas tropicais úmidas em modelos climáticos”, disse o pesquisador do Inpa Antonio Manzi, um dos coordenadores do projeto.

A previsão é de que a torre funcione 24 horas por dia nos próximos 20 ou 30 anos e, além do Atto, serão erguidos quatro observatórios auxiliares de 80 metros de altura que servirão para complementar os dados obtidos pela construção principal.

A instalação faz parte de um esforço conjunto entre o Instituto Max Planck (Alemanha) e o Inpa, que vai investir 7,5 milhões de reais (cerca de 3,41 milhões de dólares).

Essa construção científica faz parte do Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera da Amazônia (LBA), projeto de estudos científicos na Amazônia que começou a ser implementado em 1998.

Agência EFE


Vídeo: Maior torre de observação climatológica do mundo vai ficar pronta até novembro (Junho 2022).