TÓPICOS

De onde vem o costume do menu tradicional de Natal?

De onde vem o costume do menu tradicional de Natal?


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Porém, quando se fala em “menu tradicional”, é lógico pensar que se trata de um tipo de comida e de uma festa que se tem transmitido de geração em geração, mas de onde realmente vem esse costume? Se voltarmos ao evento original ocorrido 2.000 anos atrás em Belém, lembraremos que Jesus veio ao mundo rodeado de animais, os únicos que deram calor e abrigo à família de José e Maria.

Por isso mesmo, não devemos precisamente na época do Natal pagar os animais com aquela moeda, isto é, matar e comer justamente os descendentes daqueles que deram ao menino Jesus seu calor e companhia.

É evidente que essa tradição não nos veio daquele grande acontecimento. Portanto, se esses costumes culinários não têm origem ou não têm relação com o nascimento de Jesus, por que o Natal se tornou a festa da matança e de onde vem tudo isso? Pode-se dizer que são as tradições eclesiásticas que têm feito da festa de Natal uma festa de matança, já que toda essa exibição culinária de carnes acontece com a aprovação das instituições católica e luterana.

A este respeito, a seguinte citação do catecismo católico: "Deus colocou os animais sob o controle do homem, ... para que os animais possam ser usados ​​como alimento ...". (Artigo No. 2.417).

Não há dúvida de que o grande desprezo pelo reino animal é dado pelo ensino católico.

O número de animais abatidos para o Natal é muito alto, pois estamos falando de milhões de toneladas de carne, que na verdade são milhões de seres vivos mortos apenas para gozo do paladar humano, e isso para comemorar o nascimento do mestre do pacifismo. . Se tomarmos como referência um país europeu como a Alemanha, e nos basearmos em um relatório realizado em 2003 pelo governo federal alemão, descobriremos que o número de animais abatidos anualmente é de cerca de 530 milhões de animais.

No entanto, é possível que alguém objete que a pecuária e o abate sempre existiram, mesmo muito antes de a igreja se consolidar com seus conteúdos de fé. Naturalmente, também no tempo de Jesus de Nazaré havia a matança e o sacrifício de animais, porém Jesus de Nazaré nunca o aprovou. Ele até expulsou os mercadores de animais do templo, também por outra fonte o conhecimento do amor de Jesus pelos animais chegou aos nossos dias, por exemplo no texto de Carl Anders Skriver pode-se ler que Jesus não veio à Terra apenas pelos humanos, mas também para redimir os animais de seu sofrimento.

Os discípulos e o próprio Jesus eram vegetarianos, viviam sem comer carne e não matavam animais. Mas as instituições chamadas Igreja baseavam-se nas antigas religiões sacerdotais que praticavam o abate e o sacrifício de animais, em vez de se basearem nos ensinamentos de Jesus que, entre outras coisas, dizia: “Tudo o que fizeres à menor das minhas criaturas, isso tu fazes para mim. meu ".

Rádio Santec Do programa “Animais e Natal”


Vídeo: A MELHOR RECEITA DE PEIXE DE FORNO QUE VOCÊ JÁ VIU. SUPER FÁCIL E DELICIOSA. Gabriel Freitas (Junho 2022).


Comentários:

  1. Farquharson

    I rarely leave comments, but really interesting blog, good luck!

  2. Zolonos

    Que frase agradável

  3. Crudel

    Eu concordo, um pensamento útil

  4. Torry

    Você não está certo. tenho certeza. Sugiro que discuta.



Escreve uma mensagem