TÓPICOS

ONU busca 100 bilhões por ano para mudanças climáticas

ONU busca 100 bilhões por ano para mudanças climáticas


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Por Thalif Deen

Para lidar com a ameaça iminente, que acabará com inúmeras vidas humanas e devastará a agricultura, a Organização das Nações Unidas (ONU) pretende contribuir com US $ 100 bilhões por ano até 2020, como parte do Fundo Verde para o Clima, que ajudará os países em desenvolvimento a se fortalecer sua resiliência e adaptação às mudanças climáticas.

"Vou me envolver proativamente com os líderes do Norte e do Sul globais para garantir que essa meta seja alcançada e considerada confiável por todos", anunciou o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, em uma reunião de alto nível. Nível sobre mudança climática realizada em Nova York em 29 de junho.

O Fundo Verde do Clima, com sede em Incheon, Coreia do Sul, deve estar “pronto e funcionando”, disse Ban, com recursos a serem entregues antes da 21ª Conferência das Partes (COP 21) da Convenção-Quadro das Nações Unidas. Change (UNFCCC), a ser realizada em dezembro, em Paris.

Quando questionada se a meta de US $ 100 bilhões é realista, Lisa Elges, diretora de Política Climática da Transparência Internacional, disse à IPS que "a questão mais prática é: como isso pode ser alcançado?"

“Os cofres públicos são necessários, mas os fundos públicos continuam a ser necessários. E se você quiser envolver o setor privado, precisa de recursos públicos para fornecer subsídios e atrair e aproveitar o investimento privado ”, afirmou.

Uma fonte pode ser a repressão aos fluxos financeiros ilícitos, sugeriu ele. Se os governos atacarem a lavagem de dinheiro, mais dinheiro tributado poderá ser disponibilizado para o desenvolvimento mundial e as necessidades ambientais, argumentou Elges.

Anualmente, 1.000 milhões de dólares são perdidos em movimentos financeiros ilícitos, que incluem corrupção, suborno e evasão fiscal.

“Quando os corruptos perdem, as pessoas e o planeta vencerão”, disse ele.

Michael Westphal, do World Resources Institute (WRI), disse à IPS que a forma politicamente viável de atingir US $ 100 bilhões por ano até 2020 é incluir um pacote mais amplo de financiamento climático e fortalecer o financiamento público.

O objetivo é possível, mas Westphal advertiu que isso exigirá uma ação conjunta dos atores públicos, usando fundos públicos para impulsionar o investimento do setor privado.

Com respeito ao financiamento para fins climáticos, o WRI propõe várias recomendações.

Primeiro, o Norte industrializado deve se comprometer a aumentar o financiamento público até 2020.

Isso inclui fundos públicos para o clima dos países industrializados, de acordo com seus relatórios à UNFCCC, que consiste principalmente em financiamento por meio de canais bilaterais, fundos de bancos multilaterais e ajuda oficial ao desenvolvimento.

Em segundo lugar, o Norte industrializado deve considerar o uso de novas fontes de financiamento, como redirecionar subsídios para combustíveis fósseis, receitas do mercado de carbono, impostos sobre transações financeiras, créditos de exportação e alívio da dívida, que têm sido pouco usados ​​para mobilizar o financiamento climático.

E, terceiro, as partes precisam esclarecer qual é a definição de financiamento do clima e desenvolver metodologias, incluindo o cálculo e atribuição de investimentos do setor privado, para melhorar a contabilidade e os relatórios.

Em uma reunião de cúpula do Grupo dos 20 países industrializados, realizada na Austrália em novembro, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou uma contribuição de US $ 3 bilhões para ajudar os países mais pobres a combater as mudanças climáticas.

Mesmo antes da promessa de Obama, o New York Times informou que pelo menos 10 países, incluindo Alemanha, França e Coréia do Sul, haviam prometido cerca de US $ 3 bilhões ao fundo.

Após o anúncio de Washington, o Japão prometeu uma contribuição de US $ 1,5 bilhão.

“A contribuição dos Estados Unidos terá um impacto direto na mobilização de contribuições de outras grandes economias”, previu em novembro a diretora-executiva do Fundo Verde para o Clima, Hela Cheikhrouhou.

“Insto encarecidamente a los países desarrollados a proporcionar una la trayectoria política creíble para movilizar 100.000 millones de dólares por año para 2020 para apoyar a los países en desarrollo s reducir las emisiones y fortalecer su capacidad de recuperación”, dijo Ban en la reunión del 29 de junho.

É fundamental que os países do Norte industrializado esclareçam antes da COP 21 como será composto o financiamento público de 100 bilhões de dólares e como atrairão a participação do setor privado, frisou.

Um acordo também deve reconhecer a necessidade de fundos de longo prazo além de 2020, acrescentou.

"Congratulo-me com o recente anúncio da Alemanha de que dobrará seu apoio financeiro para fins climáticos até 2020 e incentivo outros países desenvolvidos a fazerem o mesmo", disse ele.

Em sua totalidade, este pacote de financiamento construirá confiança e ajudará a liberar os trilhões de dólares em fundos adicionais necessários para construir economias de baixo carbono e resilientes ao clima, disse ele.

De acordo com a ONU, uma reunião de cúpula de governantes em setembro gerou um "impulso muito necessário" na área de finanças climáticas.

Líderes dos setores público e privado se comprometeram a mobilizar mais de US $ 200 bilhões até o final de 2015 para financiar o crescimento com baixa emissão de carbono e resiliente ao clima, disse um comunicado da ONU.

Na COP 20, realizada em Lima em dezembro, US $ 10 bilhões foram prometidos para lançar o Fundo Verde para o Clima, afirma a ONU.

Com uma perspectiva diferente, Elges, da Transparência Internacional, pergunta “como podemos garantir que o mundo gaste de forma eficaz ... o dinheiro destinado a evitar as graves (consequências das) mudanças climáticas? Se esse dinheiro for perdido, isso pode ter consequências desastrosas ”na prática.

Ele também apontou para a ameaça de corrupção de lobbies nas indústrias de combustíveis fósseis dos Estados Unidos ou Grã-Bretanha, por exemplo, que são capazes de influenciar a política climática de longo prazo para obter benefícios de curto prazo, alertou.

Por exemplo, US $ 550 bilhões por ano vão para os combustíveis fósseis como subsídios, o que muitas vezes é consequência de práticas corruptas e influência indevida, disse ele.

No Sul em desenvolvimento, o maior problema é a fraqueza dos governos que, na prática, não respeitam as leis de transparência ou prestação de contas, disse Elges.

Editado por Kitty Stapp / Traduzido por Álvaro Queiruga

IPS News


Vídeo: BIA KICIS: RACISTA DE PRIMEIRA, HUMORISTA DE QUINTA (Junho 2022).


Comentários:

  1. Shakakree

    Hoje eu li muito sobre esse tema.

  2. Voktilar

    Que palavras certas ... super, frase brilhante

  3. Dwight

    O maior número de pontos é alcançado. Eu acho que isso é uma boa idéia. Concordo plenamente com ela.

  4. Sharg

    E então isso.



Escreve uma mensagem