TÓPICOS

Degradação como alternativa para superar a crise ambiental

Degradação como alternativa para superar a crise ambiental


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Por Alvaro Lopez

Nesse período histórico, a humanidade ou parte dela passa a ter consciência da finitude do planeta e de que é impossível atingir um nível de consumo ou igualdade em todos os habitantes no mesmo nível dos americanos / europeus, bem como, é injusto que os "países desenvolvidos" esbanje recursos naturais, o resto recebendo apenas as migalhas de seu progresso.

Nesse planeta finito, os recursos naturais têm limite, e a ação antrópica a partir da revolução industrial levou à superação desses limites da sustentabilidade da terra; o que se observa atualmente com exemplos marcantes de redução da biodiversidade, aquecimento global, poluição do ar, poluição da água, grandes instabilidades climáticas (acentuadas pelo mau uso dos recursos naturais) que levam a secas, inundações, tornados, avanços de pragas e doenças, redução de produção agrícola, etc.

A resposta política a esses problemas (como podemos ver nos acordos alcançados na COP21) está centrada na adaptação às mudanças climáticas - adaptando-se ao clima que nos destrói e perdura -, na mitigação (reduzindo a quantidade de Gases de Efeito Estufa) e em série de medidas que envolvam contribuições financeiras para esses fins e outras políticas.

Em geral, esses acordos são vulneráveis ​​às políticas econômicas definidas em cada um dos países, são compromissos futuros que implicam em ações que indiretamente dependem de sua viabilidade econômica, mas em um mundo onde prevalecem o global, o financeiro, o consumo. crescimento.

Mas devemos estar atentos ao ALERTA que o planeta nos marca, os efeitos das mudanças climáticas são tangíveis, é hora de mudar de rumo. Uma das alternativas para esse fim é a "Teoria da Diminuição" de Serge Latouche. Esta teoría se plantea como un Slogan para generar impacto, refiriendo a que la humanidad debe cambiar sus hábitos, dejar de ser un mundo donde se vale por lo que se consume, donde todo el resto de los valores son precarios (el amor, el trabajo , o ser humano). Serge Latouche defende que “devemos sobreviver ao desenvolvimento, descolonizar-nos do imaginário econômico e começar a construir uma sociedade alternativa”; Essa sociedade alternativa tem que ser tomada como base política para os governantes do mundo, para que eles comecem a pensar em outro modelo de desenvolvimento, deixando de lado o modelo capitalista que se sustenta através do "hipodesenvolvimento", "hiperprodução" e "hiperconsumo" degradando e destruindo a biodiversidade e os recursos naturais, contribuindo cada vez mais para a emissão de gases de efeito estufa.

Este novo modelo deve assumir a forma de uma economia de decrescimento, implicando não só uma maior consciência ecológica, mas também uma mudança nas formas de viver, consumir e produzir; uma nova forma de nos organizarmos social e economicamente.

Os pilares deste novo paradigma estão resumidos em 8 ERRES:

A reavaliação: substituir o sistema de valores capitalista, puramente egoísta, por valores de solidariedade cooperativa, local e humanística.
Reconceitualização: o que implica uma nova visão de qualidade de vida, simplicidade e preocupação com as gerações futuras.
A Reestruturação: mudar as estruturas produtivas e econômicas para um novo sistema de valores.
Mudança: Isso implica na quebra da globalização, na busca pela autossuficiência local, na geração de trabalho local e na redução dos custos com viagens.
A Redistribuição: Este conceito está relacionado tanto às desigualdades entre os países quanto às desigualdades internas e locais. Um novo sistema de valores finge que o consumo não é supérfluo nem luxuoso.
A redução: reduzir a produção à capacidade real de regeneração da biosfera, analisando também o uso de combustíveis fósseis e energia de fontes renováveis.
Reuso: Implica uma mudança no conceito de produção de bens, modificando sua durabilidade, qualidade, sustentando-os por meio de reparo e conservação adequados.
E finalmente o Reciclado: Buscando reciclar o máximo possível, o uso de embalagens recicláveis, embalagens retornáveis, a redução de embalagens.

Este breve resumo da teoria do decrescimento pretende deixar o leitor com a necessidade de saber e ler mais sobre o assunto, e semear em sua consciência uma semente que promova uma transformação em seus usos e costumes.


Vídeo: A relação do homem com a natureza e o meio ambiente que o rodeia.. Um vídeo muito comovente (Pode 2022).