TÓPICOS

Espaços naturais são remédios para cidades

Espaços naturais são remédios para cidades

As cidades não precisam estar em conflito com a saúde e o bem-estar das pessoas. A poluição pode ser combatida com áreas azuis e verdes acessíveis a todos.

As cidades que queremos devem ser pensadas para as pessoas e se tornarem lugares onde elas possam viver bem e com saúde, o que não acontece hoje, já que o carro e suas emissões poluentes são os senhores e senhores das cidades.

Todos os anos, mais de 800.000 pessoas morrem prematuramente na Europa devido à poluição, de acordo com a Agência Europeia do Ambiente. São mortes que poderiam ser evitadas se as recomendações internacionais sobre atividade física, poluição do ar, ruído, calor ... e também acesso a espaços naturais fossem atendidas.

“As intervenções no planejamento urbano e nos sistemas de transporte têm um grande impacto na saúde das pessoas porque determinam os níveis de exposição dos cidadãos à poluição do ar, ao ruído, à temperatura (antropogênica), bem como seus níveis da atividade física diária e do acesso a espaços verdes e públicos ”, explica ele àMente-corpo Natalie Mueller, investigadora do Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal), centro promovido pela “la Caixa”.

Mais áreas verdes e azuis nas cidades do futuro

Um desses fatores de saúde nas cidades, o dos espaços naturais - áreas verdes, jardins e parques urbanos e outros chamados "espaços azuis", como margens de rios, praias, mar ou canais - quase não foram levados em consideração até agora como um melhorador de saúde, mas pesquisas recentes fornecem informações muito interessantes sobre este “medicamento preventivo verde”.

Sabemos que estímulos naturais (caminhar por uma floresta, por exemplo) ajudam a restaurar uma sensação de bem-estar em pessoas que sofrem de fadiga mental, estresse crônico e déficit de atenção.

Benefícios comprovados dos ecossistemas naturais

A natureza nos dá uma longa lista de benefícios, todos gratuitos, e pede muito pouco em troca: visite-a e caminhe em seu próprio ritmo. Ecossistemas verdes foram comprovados cientificamente:

  • Alivia os sintomas da depressão.
  • Eles estimulam o sistema imunológico (promovendo a expressão de proteínas anticâncer).
  • Eles contribuem para um menor risco de alergias e obesidade.
  • Eles melhoram a qualidade do sono.
  • Eles diminuem os problemas cardiovasculares.
  • Eles causam menos complicações na gravidez.
  • Eles geram mais expectativa de vida.
  • Eles criam um melhor estado de saúde geral e mental.

Capacitar a natureza nas cidades permite que você se beneficie desses efeitos. Assim, um estudo de 2018 doKing’s College London (Reino Unido) demonstrou que a exposição a árvores, céu limpo e canto de pássaros nas cidades melhora o bem-estar mental.

Os cientistas do ISGlobal também analisaram sua relação com o câncer de mama pela primeira vez e a conclusão vai na mesma direção: mulheres que moram perto de áreas verdes urbanas têm menor risco de sofrer da doença.

Esse mesmo centro, que já liderou vários estudos sobre o assunto, tem mostrado que idosos que moram em bairros mais verdes apresentam um processo de envelhecimento cognitivo mais lento.

Os espaços verdes hoje não são para todos

Vamos refletir sobre essas projeções:

  • 73% dos europeus vivem em áreas urbanas, muitas vezes com acesso deficiente ou limitado aos espaços naturais.
  • Prevê-se que este número aumente para mais de 80% em 2050.
  • Nesse ano, estima-se que 68-70% da população mundial viverá em áreas urbanas.

Porém, as cidades de hoje são perigosas, geram problemas de saúde que serão evitáveis ​​se conseguirmos repensar as cidades e projetá-las para as pessoas e seu bem-estar.

É verdade que muitos têm jardins e parques, mas de acordo com um relatório do Escritório Regional da OMS para a Europa, os espaços verdes não estão disponíveis ou são acessíveis a todos os grupos populacionais.

Comunidades de baixa renda tendem a usufruir muito menos, ou os espaços são danificados pela má manutenção, vandalizados e até evitados devido à sua insegurança.

Traga áreas verdes para cada bairro

Pesquisas sobre os benefícios, não apenas das matas nativas, mas dos pedacinhos verdes ou azuis incrustados entre as ruas de trânsito, podem levar a uma mudança na gestão das cidades no século XXI.

Esses estudos abrem caminhos para repensar os espaços verdes urbanos. A mudança mais básica que sugerem: devem estar muito próximos da população e proliferar em todos os bairros porque seus benefícios na forma de saúde devem chegar a cada um de seus moradores e vizinhos.

Projetos de espaço natural conectado

Um projeto urbano inteligente é aquele que projeta jardins em todos os distritos e os conecta uns aos outros para criar corredores verdes. Assim, as pessoas podem planejar seus roteiros sem sair do verde do centro da cidade, como acontecem no Cinturão Verde de Vitória.

Espaços naturais azuis também

Outra surpresa positiva é descobrir que os espaços com água (rios, lagos, praia, mar, canais e mesmo aqueles que abrigam fontes) não são apenas interessantes para o lazer, mas também promovem a saúde.

Isso é corroborado por outro estudo da equipe do ISGlobal, que realizou a primeira revisão científica internacional sobre espaços azuis e saúde: “No final de 2017, e no âmbito do projeto BlueHealth, publicamos uma revisão sistemática com o objetivo de revisar as evidências científicas da possível associação entre espaços azuis e benefícios para a saúde e o bem-estar das pessoas ”, explica a pesquisadora Mireia Gascon.

“Apenas 35 estudos foram publicados avaliando a relação entre a exposição a espaços azuis e saúde. Observamos que os resultados existentes indicam a evidência de que quanto maior a exposição aos espaços azuis, maiores os benefícios para a saúde mental e o bem-estar e maior a promoção da atividade física.

Em contraste, havia muito poucos estudos disponíveis em relação à saúde geral, obesidade, indicadores cardiovasculares ou longevidade ”. Com esses resultados, podem ser oferecidas diretrizes para que o desenho das cidades, e dos espaços naturais dentro delas, tenha como objetivo a saúde.

Adeus ao cimento

Com esses dados, a era dos hard parks e outras ações que muitas vezes desperdiçam os recursos comuns dos cidadãos e não lhes trazem benefícios reais deve ser encerrada.

Queremos cidades verdes e azuis não apenas porque atenuam o calor e purificam o ar, mas porque promovem exercícios e restauram a saúde. Depois da era do carro e da poluição, finalmente chega a era das pessoas.

Fonte


Vídeo: Alivie a ansiedade com esses 3 remédios naturais. Dr Dayan Siebra (Junho 2021).